Facebook

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Copasa anuncia tratamento de 80% do esgoto em Salinas, mas população está revoltada

Segundo a Copasa, estação de tratamento de esgoto tem capacidade de 50 litros/segundo
Segundo empresa, ETE tem capacidade para tratar até 50 litros por segundo, mas moradores reclamam dos serviços e da taxa cobrada


SALINAS – A Copasa dessa cidade anuncia que 80% do esgoto doméstico coletado já estão sendo tratado, graças ao funcionamento da Estação de Tratamento de Esgotos (ETE), que entrou em operação, conforme a própria Copasa, no mês de novembro de 2012. Para isso, a empresa informa que foram investimentos R$ 6,7 milhões, incluindo a construção da ETE, redes coletoras e interceptoras e estações elevatórias de esgoto. A capacidade atual de tratamento é de 50 litros de esgoto por segundo.

Nosso projeto é atingir, no médio prazo, 100% de tratamento do esgoto coletado na cidade”, afirma o chefe do Departamento Operacional Norte da Copasa, Daniel Antunes.

Mesmo com o investimento feito na cidade, a Copasa sofre intensas críticas da população e é alvo de protestos e xingamentos em redes sociais. A empresa anuncia ganho ambiental para a cidade, já que o esgoto deixa de ser lançado in natura no rio Salinas, mas, no dia 17 de julho, o internauta Márcio Nogueira postou fotos de máquinas da empresa abrindo valas no leito do rio para despejo de esgoto. As imagens chocaram, pois, por Lei, o leito do rio deveria ser intocável. “Entrei em contato com a Copasa, mas ninguém explica a situação”, lamenta Márcio Nogueira.

Máquinas da empresa foram flagradas degradando o rio
Certo é que, ainda existem pontos de lançamento clandestino de esgoto no rio Salinas. Outro problema é que algumas pessoas ainda não aderiram suas residências à nova rede de esgoto, permanecendo o despejo na rede antiga, que vai direto para o rio.

Outra revolta dos salinenses são as taxas de esgoto que estão sendo cobradas nas contas de água, pois muitos alegam que o esgoto ainda não está sendo tratado em sua totalidade. Conforme a Copasa, a tarifa de esgoto passou de cinquenta para noventa por cento do valor referente ao consumo de água desde o mês de junho, conforme o contrato de concessão.

Essa tarifa, segundo a empresa, é definida pela Resolução 20/2012 da Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae-MG) e é a mesma cobrada pela Copasa em todos os municípios do Estado nos quais oferece serviços de coleta e tratamento de esgoto sanitário.

Estudos mundiais comprovam que a cada R$ 1 investido em esgotamento sanitário, R$ 4 são economizados em saúde pública. Isso porque ao ter esgoto em casa, as famílias evitam que seus filhos fiquem expostos a doenças de veiculação hídrica, entre outras, o que diminui o número de internações nas redes hospitalares e viabiliza o controle de pragas.

Copasa em Salinas – A concessão da Copasa na cidade já dura 39 anos. O contrato foi assinado em 1974 e hoje, segundo a empresa, 99,39% da população urbana de Salinas recebe água tratada. São 11.203 ligações e duas Estações de Tratamento de Água com capacidade para tratar 130 litros de água por segundo.

Já os serviços de esgotamento sanitário são operados pela Copasa desde 2007. Atualmente, são 8.930 ligações, que representa atendimento a 78,87% da população urbana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário