Facebook

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Falta d’água preocupa Taiobeiras

Promotor reúne autoridades em busca de soluções para evitar novo colapso na cidade

A cidade de Taiobeiras corre o risco de ser humilhada novamente pelo engarrafamento dos famigerados caminhões pipa. Passaram-se 10 meses e a Copasa não teve competência para construir os necessários barramentos no rio Pardo e os políticos, sonolentos como sempre, nada fizeram. Resultado: Taiobeiras, mais uma vez, terá que ser socorrida pelo empresário Carlos Humberto Morais, da Fazenda HP, que vem investindo cerca de R$ 2 milhões no desassoreamento das lagoas permanentes de sua propriedade.

Em reunião, o promotor José Cícero, da Comarca de Taiobeiras, objetivando evitar o colapso no abastecimento da cidade, acordou entre o empresário e a Copasa o bombeamento de 200 litros de água por segundo de suas lagoas para o rio Pardo, com isso, espera-se, que as soleiras de nível da Copasa sejam abastecidas. No mais, restam aos taiobeirenses rezar para chover, pois se depender da Copasa e dos políticos muitos ficarão com sede. Uma vergonha!


Reunião do promotor José Cícero com autoridades e diretores da Copasa

TAIOBEIRAS – Essa cidade volta a conviver com o drama da falta de água para abastecimento humano. Depois do vexatório engarrafamento de caminhões pipa em outubro de 2012, incrivelmente, a Copasa e as autoridades do município nada fizeram para resolver o problema. Resultado: as águas do rio Pardo estão acabando novamente e se as chuvas demorarem o único recurso será o retorno dos caminhões. Uma lastima para os sonolentos políticos da cidade!

Diante da eminente falta d’água, o promotor da Comarca, José Cícero, reuniu os diretores da Copasa, políticos e o comando da Polícia de Meio Ambiente para viabilizar uma solução que impeça um novo colapso na cidade. Resumindo: o empresário Carlos Humberto Morais, da Fazenda HP, terá que socorrer Taiobeiras novamente, pois se depender dos políticos e da Copasa, a população morrerá de sede.

Mais uma vez pressionado, o superintendente da Copasa, Daniel Antunes, disse que não construiu as soleiras de nível por que a Agência Nacional das Águas (ANA) não forneceu a outorga, com isso, não conseguiu a Ordem de Início para as obras. Ele voltou a culpar os irrigantes pela falta d’água, alegando que está sendo retirada muita água do rio. Como solução, Daniel manifestou o desejo de requerer junto à ANA a suspensão das outorgas dos irrigantes.

Depois de muito debate e confrontos de números entre Carlos Humberto e os diretores da Copasa, o empresário propôs a solução mais viável para o momento: bombear 200 litros de água por segundo das suas lagoas para o rio Pardo, objetivando abastecer as soleiras próximas à captação da Copasa. “A Copasa não teve competência para fazer os barramentos e o problema está de volta, mas eu tenho água para abastecer Taiobeiras”, disse Carlos Humberto, demonstrando revolta com a incompetência da empresa.

Se faltar água novamente, não é problema do clima e sim má gestão da Copasa”, detonou o promotor.

O capitão Geovane, comandante da PM de Taiobeiras, demonstrou preocupação com a onda de manifestações, que pode chegar à cidade caso volte a faltar água. “Se a população for humilhada novamente com os caminhões pipa, o clamor popular pode aflorar. Estou muito preocupado com isso”, alertou o Capitão.

5 comentários:

  1. Engraçado que falam que a culpa é de quem usa a água do rio pra irrigação, mas se não tirarem a água do rio e não tiver uma barragem aqui em Taiobeiras ficaremos sem água do mesmo jeito.
    O problema é que povo daqui só reclama que a Copasa não faz nada quando sente sede.

    ResponderExcluir
  2. Essa é prova que taiô tá sem prefeito se ele num cobra a Copasa agradece

    ResponderExcluir
  3. e culpa dess prefeito ficam reclamando da copasa e esquecem do prefeito imcompetente

    ResponderExcluir
  4. O que esperar de uma cidade que não tem nem água? oooo meu Deus

    ResponderExcluir
  5. A mesminha história do ano passado, entra político e sai politico e nada é feito em taiobeiras

    ResponderExcluir