Facebook

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Polícia Civil de Salinas prende 5 receptadores de cargas

Produtos e armas apreendidos com receptadores
O delegado José Eduardo dos Santos e sua equipe da Polícia Civil de Salinas desencadeou nessa sexta (15) a operação “Portão do Vale”, que culminou com a prisão de cinco homens acusados de envolvimento com produtos roubados na BR-251. Além das prisões, os investigadores cumpriram 16 mandados de busca e apreensão em Salinas, Fruta de Leite, Grão Mogol e Padre Carvalho.

Conforme Dr. José Eduardo, as investigações começaram há dois meses, quando dois caminhões carregados de produtos da Boticário, maioria de perfumes, tombaram na rodovia federal e as cargas foram saqueadas. A suspeita é de que os produtos furtados tenha sido vendidos para comerciantes da região.

Durante a operação, os investigadores apreenderam vários cosméticos e armas. O delegado estima que o prejuízo seja imenso, já que a nota fiscal das cargas era de R$ 1 milhão. “Se pensarmos na revenda, o valor é ainda maior, pois a nota fiscal consta o preço de custo”, ressalta Dr. Eduardo.

Conforme as apurações iniciais, o delegado suspeita que os perfumes estavam sendo comercializados a um quarto do preço de mercado. “As empresas legais pagam impostos, geram renda e empregos e têm as cargas saqueadas e vendidas a um preço muito inferior”, lamenta o delegado, informando que os produtos furtados estavam sendo vendidos em várias cidades da região.

Agora, as investigações visam apurar se os acusados também estão envolvidos nos furtos das cargas ou só as revendiam. Dentre os presos em flagrante, dois são de Salinas, um de Padre Carvalho e dois residem às margens da BR-251. Os detidos portavam quatro armas e o delegado quer apurar a finalidade. Os nomes do envolvidos não foram divulgados e as investigações continuam.

Qualquer informação sobre cargas roubadas ligue 181 e colabore com a polícia.
É anônimo e sigiloso.
Carga da Boticário está avaliada em R$ 1 milhão a preço de custo

11 comentários:

  1. Salinas tem mais ladrão é só investigar as lojas de eletrodomesticos

    ResponderExcluir
  2. NE TAIOBEIRAS OS DONOS DE MERCEARIAS DE BAIRROS TAO MAIS RICOS QUE DONOS DE SUPERMERCADOS DO CENTRO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro são protegidos por quem investiga, pois quem investiga não tá nem ai, pq a maioria das mercadorias de curral é comercializada dentro de Taiobeiras, mais ai tem um protecionismo igual a alguns casos ai como o de leo da granja, que todo mundo sabe, queria saber se fosse o oposto se não tinha até força tarefa.

      Excluir
  3. Vamos prender os PMs que estavam trabalhando no dia.. Na entrada de Salinas eles estavam tomando parte da carga de quem chegava na cidade com a mercadoria...

    ResponderExcluir
  4. Prende em um dia e solta no outro.... aqui em Taiobeiras prenderam uma empresaria e soltaram no outro. Agora ela fica desfilando de Hilux como nada tivesse acontecido. .. Seus comércios continuam funcionando e ainda deu uma festa para comemorar sua riqueza...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo no Brasil o crime compença,

      Excluir
  5. primeiro foi o marido e agora ela.... assim fica fácil ostentar riqueza....

    ResponderExcluir
  6. Na Facebook no grupo desapego de Taiobeiras e outras regiões o que mais vê e pessoas vendendo produtos de origens duvidosas principalmente perfumes da boticário, no vale das cancelas mesmo tem um indívio que diz que tem mercadorias com origens dessa região e que revende aqui em Taiobeiras.. Entra no face e investiguem pessoas que postam essas mercadoria que chegaram até a fonte.

    ResponderExcluir
  7. Esse é o nosso brasil...

    ResponderExcluir
  8. Isso é o Brasil.Muito triste...

    ResponderExcluir