Facebook

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Novembro Azul: troque o preconceito pela vida

Santiago: médico e deputado estadual
Por Arlen Santiago

Você sabia que a cada hora sete novos casos de câncer de próstata são descobertos no Brasil? E você sabia que os casos diagnosticados no início apresentam chances de cura de quase 90%? O diagnóstico precoce é essencial e foi pensando em conter as mortes em decorrência da doença que surgiu a campanha Novembro Azul. Este mês é internacionalmente dedicado às ações relacionadas ao câncer de próstata e à saúde do homem.

O câncer de próstata é o sexto mais comum no mundo e o segundo mais comum entre os homens (perde apenas para o câncer de pele não melanoma). Segundo estimativas do INCA, em 2016 se somarão mais de 60 mil novos casos da doença no país. Ainda assim, há resistência em fazer a prevenção, o que levou a Sociedade Brasileira de Urologia a realizar um estudo que apontou que 51% dos homens nunca consultaram um urologista. A doença não tem prevenção, por isso o seu diagnóstico precoce é essencial para o tratamento curativo. Hoje em dia, é possível até mesmo não retirar o tumor, quando ele é de baixo risco, e realizar a vigilância ativa, que consiste em apenas acompanhar sua evolução.

O exame físico (de toque) é o grande tabu que ainda impede muitos homens de procurar a prevenção, porém, pouca gente sabe que o procedimento realizado pelo médico dura apenas 10 segundos e é indispensável na descoberta precoce da doença, não podendo ser substituído por qualquer outro exame, como o de sangue ou ultrassom, por exemplo. O objetivo do teste é analisar a consistência da próstata, o tamanho e a possível existência de lesões palpáveis através do reto na glândula. Esse exame ainda gera muita polêmica e, por isso, a conscientização sobre a gravidade da doença é tão importante. O exame de toque é mais utilizado e eficaz quando aliado ao exame de sangue PSA (antígeno prostático específico, na sigla em inglês), podendo identificar o aumento de uma proteína produzida pela próstata, o que seria um indício da doença. Para um diagnóstico final, é necessário analisar parte do tecido da glândula, obtida pela biópsia da próstata, guiada por ultrassom.

A Sociedade Brasileira de Urologia recomenda que os homens com 45 anos ou mais façam um exame de próstata anualmente. O câncer de próstata ocorre principalmente em homens mais velhos. Cerca de 6 em cada 10 casos são diagnosticados após os 65 anos, sendo raro antes dos 40 anos. Assim, recomenda-se que a prevenção passe a ser feita a partir dos 45 anos, se houver casos de câncer de próstata na família. Se não existirem, o homem deve visitar o urologista anualmente a partir dos 50 anos.

Quanto aos sintomas, que só aparecem no estágio avançado da doença, é importante saber que a existência do tumor pode provocar dificuldade de urinar, frequência urinária alterada ou diminuição da força do jato da urina, dor óssea, insuficiência renal e dores fortes no corpo, neste caso devido às metástases.

Agora é a hora de despir-se do preconceito e consultar-se com um urologista, ou com seu médico generalista. Faça o exame preventivo, tire suas dúvidas, quebre preconceitos e preserve a sua vida!

Arlen Santiago é médico, deputado estadual pelo PTB e
presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

Um comentário:

  1. Os estudos científicos que tratam de analisar se a realização de exames de rastreamento (toque retal e dosagem do PSA) são efetivos na redução da mortalidade por câncer de próstata não apresentam resultados animadores. Na verdade, boa parte dos pesquisadores não recomendam o rastreamento pois as evidências mais recentes apontam que ele gera mais malefícios do que benefícios. Por esse motivo o Ministério da Saúde não adotou a campanha "Novembro Azul". Uma pena que a Sociedade Brasileira de Urologia ainda mantenha essa orientação, que no meu entendimento está muito mais preocupada com com os interesses financeiros do que com a saúde geral dos homens. Para quem ainda está na dúvida basta fazer uma busca no Google sobre o assunto!

    ResponderExcluir