Facebook

sábado, 29 de outubro de 2016

Prefeitura "de mão beijada"

Empresário Gilmar Ferraz retorna à Prefeitura de Ninheira sem nenhuma dificuldade

Gilmar Ferraz: mito político em Ninheira
Em Ninheira, o candidato único Gilmar Ferraz (PDT) ganhou a prefeitura "de mão beijada". Essa expressão quer dizer receber sem encargos e retribuições, de entrega espontânea. E encaixa perfeitamente na campanha eleitoral de Ninheira, onde Gilmar Ferraz, que já foi prefeito do município por dois mandatos (2004/2012), não teve nenhuma dificuldade, sequer foi questionado.

A expressão "de mão beijada" surgiu no século XV, quando os súditos agradeciam uma doação do Rei beijando-lhe a mão. Na igreja, fiéis que faziam doações "generosas" eram recompensados pelo privilégio de poder beijar a mão do papa.

Em Ninheira, guardada as devidas proporções, a população entregou a prefeitura "de mão beijada" para Gilmar Ferraz, tido como um mito político no município, tanto é que não surgiu nem adversário para enfrentá-lo. Mas, qual seria o segredo de Gilmar Ferraz?

Ao final do seu 2º mandato, no ano de 2012, ele foi afastado do cargo a pedido do Ministério Público sob acusação de desvios de recursos públicos. Na época, a vice-prefeita Marinalva Bandeira assumiu o comando da prefeitura e alegou que o município estaria atolado em dívidas com o INSS.

Na época das denúncias, o embate contra Gilmar Ferraz foi feito pelo promotor da Comarca de Rio Pardo de Minas, Daniel Castro, que chegou a conseguir mandados de busca e apreensão na prefeitura de Ninheira, nas secretarias municipais e na residência do então prefeito. A operação buscava, principalmente, documentos de processos licitatórios e contratos.

Nada foi provado contra Gilmar Ferraz e, por incrível que pareça, sua imagem foi ainda mais fortalecida junto aos eleitores, que o tem como um político sério, empreendedor e que honra com a palavra dada. Em Ninheira, um compromisso feito por Gilmar é como uma sentença: tem-se a certeza de que será cumprida.

O povo do município também não esquece das obras construídas pelo mito. Postos de Saúde, prédio da prefeitura e Mercado Municipal são os mais citados. Somado a tudo isso, considera também a fragilidade dos antigos políticos do município, que deixaram os cargos com altos índices de rejeição.

Com o cenário totalmente favorável, Gilmar Ferraz disputou a sua 3ª campanha para prefeito com a tranquilidade de não ter adversário e de não precisar gastar recursos financeiros para ser eleito. Enquanto outras cidades da região tem campanhas milionárias, em Ninheira, a prestação de contas de Gilmar junto ao TRE apresentou, até este sábado (29/10) gastos de apenas R$ 12 mil, sendo R$ 7.136,00 com materiais gráficos e míseros R$ 755,00 com combustíveis. Com comício, Gilmar gastou R$ 2.925,00. A campanha do PDT arrecadou R$ 23.700,00 e foi preciso gastar apenas a metade, algo quase que inacreditável em se tratando da microrregião Alto Rio Pardo, onde a quase maioria dos votos são comprados com favores, bens, serviços e dinheiro vivo.

Dos 5.906 eleitores que foram às urnas em Ninheira, 4.616 votaram em Gilmar. Outros 763 preferiram votar em branco e 527 anularam. O município tem 8.072 eleitores, ou seja: apenas 73% compareceram para votar.

Como desafios, Gilmar colocou em seu Plano de Governo a criação de cursinho pré-vestibular, disponibilização de serviços especializados de média e alta complexidade no setor de saúde, governança participativa com reestruturação dos Conselhos Municipais e importantes obras, como: cobertura da feira livre, construção de rede de esgoto na cidade e implantação de sistemas para tratamento de água na cidade e zona rural.

Nenhum comentário:

Postar um comentário