Emater e Fundação Banco do Brasil assinam convênio para recuperar sub-bacias hidrográficas

Projeto visa recuperação de sub-bacias para segurança hídrica e sustentabilidade
A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) e a Fundação Banco do Brasil formalizam na próxima segunda, 20 de fevereiro, um convênio que vai garantir a execução de um projeto-piloto de recuperação ambiental, em três sub-bacias hidrográficas do Estado.

O convênio, no valor total de R$ 380,5 mil, vai garantir R$ 259 mil da Fundação Banco do Brasil e a contrapartida de R$ 121 mil de horas técnicas da Emater-MG para a iniciativa. Os recursos serão investidos em um estudo ambiental que vai subsidiar algumas obras no Córrego da Velha, no município de Araçuaí (Vale do Jequitinhonha); na bacia do Rio Paracatu, em Brasília de Minas e no Córrego do Fumaça, em Porteirinha (Norte de Minas). 

O trabalho será feito em parceria com as prefeituras dos municípios, banhados pelos rios. Para tanto, também será assinado um termo de cooperação técnica,  com os prefeitos, conforme explica o gerente de Divisão de Inovação e Tecnologia Ambiental da Emater-MG, João Carlos Guimarães.

Zoneamento Ambiental Produtivo - Ainda de acordo o gerente da Emater-MG, para desenvolver o projeto,  a empresa vai aplicar a metodologia do Zoneamento Ambiental Produtivo (ZAP), que utiliza imagens de satélite, estudos de disponibilidade hídrica, mapa dos solos e paisagens existentes em cada sub-bacia para assim compor o diagnóstico delas.  “Essa é uma ferramenta de trabalho, desenvolvida pela Emater, para identificar áreas de fragilidade e potencialidades, seja no desenvolvimento da agricultura, como na proteção ambiental, recarga e outros aspectos”, explica o gerente João Carlos.


Comentários

Mais lidas da Semana

Seis pessoas de Rio Pardo de Minas morreram em acidente na BR-251

PRF apresenta versão oficial do acidente

Já são oito mortos e 53 feridos em acidente na BR-251