Facebook

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Familiares de Euler cobram providências da Polícia Civil de Taiobeiras

Euler morreu aos 23 anos. Menor autor está escondido
Desde a noite de sexta (24/02) que o clima é de revolta no distrito de Maristela, município de Curral de Dentro, onde ocorreu o assassinato do jovem Euler Pereira da Rocha, de 23 anos. Conforme a Polícia Militar, o crime teria sido cometido por um adolescente de 14 anos, que, após discussões por motivos fúteis, teria desferido um golpe de faca nas costas de Euler diante de várias testemunhas.

A vítima chegou a ser socorrida no Pronto Socorro de Salinas, ainda com a faca encravada nas costas, mas não resistiu ao ferimento e morreu no dia seguinte.

A revolta dos familiares é que o menor autor chegou a ser conduzido pela Polícia Militar até a delegacia da Polícia Civil de Taiobeiras, onde o delegado o ouviu e o liberou. Após a morte da vítima, com os ânimos acirrados no distrito, o delegado orientou os militares a conduzir o menor novamente para ser apresentado ao Ministério Público, mas ele não foi encontrado.

A irmã Mirian Gomes Rocha, assim como todos os familiares de Euler, está revoltada com a sensação de impunidade. "O que aconteceu é um absurdo. O autor esteve na delegacia é foi liberado pelo delegado, isso é uma vergonha. Queremos justiça", disse Mirian em contato com a reportagem do Folha Regional. "Além de liberar o autor, eles não estão fazendo nada, não aparecem aqui e nem telefone atendem", completou.

O sepultamento de Euler ocorreu na tarde de domingo (26), sob grande comoção dos moradores, que prestaram muitas homenagens.

O crime ocorreu na Praça do Mercado depois que os dois jovens se desentenderam numa fazenda. No retorno ao distrito, o autor teria pegado uma faca em sua residência e deslocado até a Praça para tirar satisfação com Euler. Na versão relatada pelo autor na ocorrência da PM, após a discussão, Euler teria apertado o seu pescoço e, para se defender, desferiu a facada em suas costas.

A família de Euler, baseada em testemunhas, apresenta outra versão. "Quando o autor apareceu na Praça com a faca, Euler levantou a camisa e o chamou para brigar de mãos limpas, ele não foi. Aí, quando Euler virou as costas, ele deu a facada nas costas", relata a irmã Mirian.

Autor e vítima eram amigos e vizinhos em Maristela. A sensação de impunidade deixou o clima tenso no distrito, principalmente por que os familiares alegam saber onde o menor autor está escondido e a Polícia Civil nada faz.

Na delegacia da Polícia Civil ninguém atende ao telefone.


9 comentários:

  1. É por isso que estudo duro pra poder entrar pra esse ramo na justiça Brasileira, pra tentar fazer algo melhor em prol dos que não podem, sei que não sera fácil, em meio a tanta concorrência, além da corrupção e mals costumes dentro da própria justiça... Mas procurarei dar o meu melhor...

    ResponderExcluir
  2. A PM tem q agir alguma coisa em,q país é esse q nos estamos,acorda delegado....tem q colocar fervendo nesse criminoso,tem q deixar esse vagabundo apodrecer ñ cadeia...QUEREMOS jUSTIÇA...

    ResponderExcluir
  3. Por ele ser menor porque nao leva ele pro abrigo, assim que ele completar os 18 anos grade pra ele mande pra febem algo assim...foi inresponsabilidade do delegao soltar o criminoso antes de saber o que ia acontecer com a vítima

    ResponderExcluir
  4. Isso é muito desumano,a população de Maristela está indignada com essa injustiça. Queremos esse bandido preso. Maristela está esquecida,aqui não tem policia cada um por si. Mas na hora do voto nós existimos,um lugar onde jovens usam drogas na rua ...aqui é terra sem lei.Essa tragédia aconteceu e muitas outras pode acontecer se nada for feita... queremos pelo menos dois policiais aqui, por que pode inibir um pouco essa violência aqui em nossa comunidade.e esse delegado deve ser mais duro com esses bandidos.

    ResponderExcluir
  5. #Queremos destacamento militar em Maristela de Minas...

    ResponderExcluir
  6. Queremos justiça,ele matou e deve pagar pelo ato de covardia. É um menor mais é bandido,ele saiu da casa com intessão de matar.por que na hora de matar ele age como adulto e na hora de ir pra cadeia ele é de menor.BANDIDOOOOO

    ResponderExcluir
  7. E colocar absurdo nisso, se depender do delegado de Taiobeiras a família nunca vai ter um retorno de paz, pois ele só sabe cobrar fiança de um trabalhador honesto que trabalha para viver em uma sociedade digna.Pra ele só bandido tem valor, quem rouba, quem trafica quem estupra ai sim é merecedor de sua confiança mas um cidadão do bem, não tem direito legal. Essa é a realidade de taiobeiras.

    ResponderExcluir
  8. BOLSONARO 2018, só assim pra bandido pensar duas vezes antes de tentar qualquer ato contra a população de bem, vamos reduzir a maioridade penal e fazer esses trombadinhas pagar ate o banho que tomar de agua gelada na cadeia.

    ResponderExcluir
  9. Toma vergonha senhor delegado

    ResponderExcluir