Facebook

terça-feira, 9 de maio de 2017

Com 2,3 mil atendimentos, Multicampi garante ações e conscientização para população de Salinas

A iniciativa é realizada a partir do voluntariado de acadêmicos dos diversos cursos
A cidade de Salinas, no Norte de Minas, conhecida como a capital mundial da cachaça, foi beneficiada com as ações do programa Multicampi, da Universidade Estadual de Montes Claros, coordenado pela Pró-Reitoria de Extensão. O balanço das atividades foi divulgado nesta segunda-feira (8/5) e o programa apresentou como novidade a inserção de uma série de palestras gratuitas para conscientizar a população nas áreas educacionais, comportamental e de saúde.

Levantamento da Coordenadoria de Apoio ao Estudante (CAE), responsável pelo Multicampi, revela que foram realizados 2.388 atendimentos gratuitos à população entre 24 e 30 de abril, com ações de prevenção à saúde, com aferição da pressão arterial, teste de glicemia, avaliação corporal e orientações à comunidade. E o programa atendeu, também, a zona rural do município de Salinas.

Durante as atividades do Multicampi, a Unimontes e a Prefeitura de Salinas reafirmaram o compromisso de um esforço conjunto em busca de recursos para a construção da sede própria do Campus de Salinas, em terreno doado pelo empresário Reginaldo Ferreira Tiago, vice-presidente da Associação Comercial, Industrial e de Serviços (ACI) de Salinas. O prefeito José Prates destacou a importância da Unimontes na transformação da realidade regional e enalteceu a ação do Multicampi naquele município. “A Unimontes é imprescindível para Salinas”, afirmou.

CONSCIENTIZAÇÃO – O Multicampi em Salinas contou com a presença do reitor da Unimontes, professor João dos Reis Canela, que ministrou palestra sobre a febre amarela, e do vice-reitor, professor Antônio Alvimar Souza, que abordou, também em palestra, o tema relacionamento interpessoal. O reitor, que é médico infectologista, fez esclarecimentos sobre o cenário da febre amarela no Brasil e em Minas Gerais, destacando a importância da vacinação como fator preponderante na prevenção. Ele lembrou que o macaco é vítima da doença e condenou a atitude de algumas pessoas de matar os primatas.

Já o vice-reitor Antônio Alvimar Souza ressaltou a importância do autoconhecimento como ponte para melhorar a compreensão de outras pessoas. “Precisamos aprender a conviver com nossos defeitos e nossas qualidades, pois o homem que não se conhece, portanto, não tem como conhecer o próximo”, sugeriu. E ressaltou que o homem é muito mais cultura do que apenas biologia e que cada ser humano tem o poder de construir o seu futuro por meio de suas escolhas e dos caminhos que decide trilhar, sem a necessidade de culpar o destino. “Somos um ser de liberdades e nossas escolhas e ações definirão o nosso futuro”, aconselhou.

O ciclo de palestra também abordou “O uso das Tecnologias em Sala de Aula”, com o professor da Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros (FACIT), Lincoln Wagner Veloso; “Professor para o aluno com necessidades específicas”, com o professor da Unimontes, Carlos Alberto Siqueira Alexandre, e “Quem quer dinheiro” com abordagens sobre o planejamento pessoal financeiro e alerta aos gastos compulsivos com o professor da Unimontes, José Maria Alves Cardoso, do projeto “Finanças na Ponta do Lápis”.

O Multicampi também envolveu atividades culturais com apresentações da Companhia de Danças Parafolclóricas Saruê, da Unimontes, coordenado pelo professor José Roberto Lopes de Sales, além de artísticas regionais e do projeto Eclipse, composto por acadêmicos do dos cursos de Matemática e Geografia, do campus da Unimontes de Montes Claros, com repertório especial de música rock.


Nenhum comentário:

Postar um comentário