Seca é dramática na região

Realidade em vários municípios: racionamento de água, barragens vazias e caminhões pipa
Taiobeirense Sérgio Sena mostra a situação da Barragem de Machado Mineiro
O longo período de estiagem aumenta, cada vez mais, a escassez de água na microrregião Alto Rio Pardo. A crise hídrica é tão grande que até a cidade de Rio Pardo de Minas, considerada a “caixa d’água” da região, está sofrendo racionamento. A situação é crítica na cidade e pior ainda na zona rural, que depende de caminhões pipa.

Em Taiobeiras, os pequenos reservatórios estão no limite. Se a chuva demorar o retorno da frota de caminhões pipa será inevitável.

A região possui poucos reservatórios. Apenas três municípios possuem grandes barragens: Salinas, São João do Paraíso e Águas Vermelhas. O restante depende dos castigados rios e de poços artesianos. Aí surge outro grave problema mais preocupante ainda: o rebaixamento do lençol freático. Está cada vez mais difícil encontrar água por meio de poços tubulares.

O superintendente do distrito Operacional Norte da Copasa, Roberto Botelho, salienta que o Norte de Minas sempre sofreu com a seca, mas nos últimos anos as chuvas na região reduziram mais ainda, agravando a crise hídrica.

Conforme monitoramento da empresa, na década de 1990, o Norte do estado teve uma média anual de 915 milímetros de chuva, que caiu para 871 milímetros entre 2001 e 2010. Nos últimos sete anos (2010 a 2016), a média anual ficou em 784 milímetros.

Roberto Botelho salienta que, além da “má vontade de São Pedro”, houve a redução do lençol freático por causa de problemas ambientais, sobretudo, a monocultura de eucalipto, “que suga o solo”. Outro problema é a abertura desenfreada de poços tubulares em propriedades particulares. A “corrida” pelos poços é tamanha que empresas especializadas fazem propaganda na região, divulgando que perfuram e entregam o a estrutura em funcionamento “dentro de 12 horas”.


Comentários

  1. CADÊ AS ÁRVORES DESSA REGIÃO E A NATUREZA DANDO O TROCO...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente.
      Mesmo assim muitos empresários continua desmatando o restinho de mata que existe.

      Excluir
  2. Deus nao nos abadona mas os politicos sim vamos ficar esperto logo logo eles estão de volta fazendo de tudo nao vamos repetir o mesmo erro vatar em quem promete

    ResponderExcluir
  3. É a ganância por dinheiro, desmatamentos, carvoerias, queimadas,só destruição do meio ambiente. Agora ele está cobrando caro pelo que fizeram e vai piorar mais. Estima-se que daqui 10 anos a região Norte de Minas estará em mais bocados quanto a falta d'água.

    ResponderExcluir
  4. A copasa deveria ter vergonha de dar tais declarações! Tem mais de 20 anos que Taiobeiras sofre com a seca e NADA DE EFETIVO e nem DEFINITIVO foi feito. Num futuro breve aa pessoas mudarão para as cidades que tem água e as demais, como Taiobeiras, ficarão às moscas, com terrenos e casas desvalorizadas...

    ResponderExcluir
  5. Parabens as aos plantadores de eucalipto.Segundo um estudo o norte de minas e vale do jequitinhonha vao se transformar em um deserto daqui a vinte anos.

    ResponderExcluir
  6. Gente onde eu to morando centto oeste de Minas esta chovendo desde sabado....rezo oea chover na nossa região, norte de minas....Deus abençoe a chuva sagrada....

    ResponderExcluir
  7. Como dizia a velha música: "O sertão vai vira a mar" e o "novo sertão brasileiro" será o Norte de Minas e Vale do Jequitinhonha. Graças aos nossos empreendedores de eucalipto e demais colaboradores pra degradação do meio ambiente. Isso que vão deixar pros seus filhos e netos.

    ResponderExcluir
  8. Cadê o "bom governo", que se preocupa com a população, para proibir cultivo de eucalipto nessas áreas mais secas de MG? Ah, ele não existe. Pimentel agora está ocupado com campanha para Dilma e Lula, enquanto recebe suas propinas dos corporativistas de eucalipto.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Mais lidas da Semana

Autores de roubo na Bahia são presos em Ninheira e São João

Padre Carvalho pode receber fábrica de lâmpadas leds

Afogamento em Salinas