Seca é dramática na região

Realidade em vários municípios: racionamento de água, barragens vazias e caminhões pipa
Taiobeirense Sérgio Sena mostra a situação da Barragem de Machado Mineiro
O longo período de estiagem aumenta, cada vez mais, a escassez de água na microrregião Alto Rio Pardo. A crise hídrica é tão grande que até a cidade de Rio Pardo de Minas, considerada a “caixa d’água” da região, está sofrendo racionamento. A situação é crítica na cidade e pior ainda na zona rural, que depende de caminhões pipa.

Em Taiobeiras, os pequenos reservatórios estão no limite. Se a chuva demorar o retorno da frota de caminhões pipa será inevitável.

A região possui poucos reservatórios. Apenas três municípios possuem grandes barragens: Salinas, São João do Paraíso e Águas Vermelhas. O restante depende dos castigados rios e de poços artesianos. Aí surge outro grave problema mais preocupante ainda: o rebaixamento do lençol freático. Está cada vez mais difícil encontrar água por meio de poços tubulares.

O superintendente do distrito Operacional Norte da Copasa, Roberto Botelho, salienta que o Norte de Minas sempre sofreu com a seca, mas nos últimos anos as chuvas na região reduziram mais ainda, agravando a crise hídrica.

Conforme monitoramento da empresa, na década de 1990, o Norte do estado teve uma média anual de 915 milímetros de chuva, que caiu para 871 milímetros entre 2001 e 2010. Nos últimos sete anos (2010 a 2016), a média anual ficou em 784 milímetros.

Roberto Botelho salienta que, além da “má vontade de São Pedro”, houve a redução do lençol freático por causa de problemas ambientais, sobretudo, a monocultura de eucalipto, “que suga o solo”. Outro problema é a abertura desenfreada de poços tubulares em propriedades particulares. A “corrida” pelos poços é tamanha que empresas especializadas fazem propaganda na região, divulgando que perfuram e entregam o a estrutura em funcionamento “dentro de 12 horas”.


Comentários

  1. CADÊ AS ÁRVORES DESSA REGIÃO E A NATUREZA DANDO O TROCO...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente.
      Mesmo assim muitos empresários continua desmatando o restinho de mata que existe.

      Excluir
  2. Deus nao nos abadona mas os politicos sim vamos ficar esperto logo logo eles estão de volta fazendo de tudo nao vamos repetir o mesmo erro vatar em quem promete

    ResponderExcluir
  3. É a ganância por dinheiro, desmatamentos, carvoerias, queimadas,só destruição do meio ambiente. Agora ele está cobrando caro pelo que fizeram e vai piorar mais. Estima-se que daqui 10 anos a região Norte de Minas estará em mais bocados quanto a falta d'água.

    ResponderExcluir
  4. A copasa deveria ter vergonha de dar tais declarações! Tem mais de 20 anos que Taiobeiras sofre com a seca e NADA DE EFETIVO e nem DEFINITIVO foi feito. Num futuro breve aa pessoas mudarão para as cidades que tem água e as demais, como Taiobeiras, ficarão às moscas, com terrenos e casas desvalorizadas...

    ResponderExcluir
  5. Parabens as aos plantadores de eucalipto.Segundo um estudo o norte de minas e vale do jequitinhonha vao se transformar em um deserto daqui a vinte anos.

    ResponderExcluir
  6. Gente onde eu to morando centto oeste de Minas esta chovendo desde sabado....rezo oea chover na nossa região, norte de minas....Deus abençoe a chuva sagrada....

    ResponderExcluir
  7. Como dizia a velha música: "O sertão vai vira a mar" e o "novo sertão brasileiro" será o Norte de Minas e Vale do Jequitinhonha. Graças aos nossos empreendedores de eucalipto e demais colaboradores pra degradação do meio ambiente. Isso que vão deixar pros seus filhos e netos.

    ResponderExcluir
  8. Cadê o "bom governo", que se preocupa com a população, para proibir cultivo de eucalipto nessas áreas mais secas de MG? Ah, ele não existe. Pimentel agora está ocupado com campanha para Dilma e Lula, enquanto recebe suas propinas dos corporativistas de eucalipto.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Mais lidas da Semana

Acidentes com mortes na região

PM prende mais um assaltante de banco

Vítima de acidente em Salinas morre no hospital