Facebook

terça-feira, 18 de julho de 2017

Áreas regeneradas do cerrado abrigam espécies raras

Artigo publicado em revista científica mostra importância do bioma para a preservação da fauna na região
A revista Biotrópicos publicou artigo científico sobre áreas regeneradas de cerrado e mamíferos no Parque Estadual Veredas do Peruaçu, no Território Norte de Minas Gerais. A pesquisa é fruto de uma parceria entre o Instituto Estadual de Florestas (IEF) e o Instituto Biotrópicos, e teve como objetivo avaliar a importância de áreas regeneradas de cerrado para a conservação de mamíferos de grande porte.

Vários mamíferos foram registrados na área
O estudo realizado na unidade de conservação, no município de Cônego Marinho, contou com a instalação de câmeras automáticas para o registro de animais em dois ambientes diferentes: na vegetação de cerrado regenerada após desmatamento e na vegetação de cerrado maduro, que não sofreu impactos significativos nas últimas quatro décadas. Durante a realização da pesquisa foram registradas 18 espécies de mamíferos de grande porte, incluindo espécies raras como o queixada e o cachorro-do-mato-vinagre.

   Conforme a pesquisa, áreas regeneradas de florestas desempenham um importante papel na conservação da biodiversidade. Também está provado que o cerrado tem grande poder de regeneração e os animais ameaçados de extinção em nível mundial como o tamanduá-bandeira e o gato-do-mato-pequeno, estão utilizando estas áreas, que foram completamente desmatadas no passado e regeneradas depois.

O resultado tem implicações para as extensas áreas de cerrado no Norte de Minas, que foram desmatadas para o plantio de eucalipto no passado e hoje, encontram-se em estágio inicial de regeneração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário