“Cultura da Cooperação” contribui para a criação de cooperativa dos produtores de marmelo

Sebrae Minas dissemina a valorização do coletivo entre os produtores

São João do Paraiso, município com 23 mil habitantes, é conhecido como a terra do doce de marmelo.  Dados do censo agropecuário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2017, mostram que cerca de 300 toneladas de doce da fruta são produzidas por ano na cidade. Para colher e produzir a iguaria de forma artesanal, mais de 70 famílias trabalham no setor gerando emprego e renda para a região.

Com o objetivo de apoiar os produtores e contribuir com o desenvolvimento local, o Sebrae Minas atuou durante o ano de 2018 na disseminação da cultura da cooperação, conscientizando-os da necessidade do trabalho coletivo para agregar valor ao produto. Cerca de 30 produtores participam de um trabalho de sensibilização das necessidades de melhoria na produção.  Ao longo do ano, foram realizados 10 encontros com consultores do Sebrae. A partir desses encontros, foi detectada necessidade de formarem uma cooperativa. A ideia amadureceu e está em processo de implantação.

Nosso objetivo, nesse primeiro momento, foi trabalhar a união do grupo através da cultura da cooperação. A partir da intervenção da consultoria do Sebrae, eles deixaram de trabalhar individualmente e passaram a atuar como grupo. Ajudamos na identificação dos gargalos e das principais dificuldades enfrentadas e, assim, decidiram que querem trabalhar de forma integrada e criar uma associação ou cooperativa”, ressalta o analista do Sebrae Minas Filomeno Bida.

Rovilson Carlos Gomes é um dos produtores que aposta na ideia do trabalho em conjunto para o bem de todos. Ele destaca o apoio do Sebrae para a maioria decidir pelo trabalho coletivo e apoiar a criação da cooperativa. “Entendemos que precisamos somar forças para melhorar a produção e a comercialização do nosso produto. Agora, estamos na fase de criação da cooperativa. Temos muitas adequações e obrigações a serem cumpridas, mas nosso objetivo no momento é organizá-la. O apoio do Sebrae nos fez abrir novos horizontes”, conta.

Os produtores trabalham agora a parte jurídica, para que seja oficialmente criada a Cooperativa dos Produtores de Marmelo de São João do Paraiso (Coopemar). A proposta do Sebrae Minas para este ano é dar continuidade aos trabalhos por meio de um plano de ação, que está sendo estruturado. A partir dessas ações o grupo irá definir os próximos passos em paralelo com a cooperativa. Ainda neste mês de abril, está previsto um encontro entre os parceiros apoiadores e os produtores com a Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais (Ocemg), que também dará suporte na implantação da cooperativa.

Além do Sebrae, outros parceiros como a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) e o Instituto Federal do Norte de Minas (IFNMG) Campus Salinas também integram o projeto para o crescimento e o fortalecimento da produção de marmelo na região.

Comentários

Mais lidas da Semana

Dois meses depois de sair da cadeia, homem é preso

Gustavo Lima fará show em Taiobeiras