Prefeituras da região devem fechar essa semana

Prefeitos tenta mobilização para conseguir total adesão aos protestos

Prefeitos da maioria das cidades do Norte de Minas estarão reunidos na Amams na tarde desta segunda (12/11) para deliberar sobre o fechamento das prefeituras devido à crise financeira causada pelas retenções dos repasses obrigatórios por parte do Governo de Minas.

A pior situação é nos municípios menores, onde os repasses constitucionais são as únicas fontes de renda. O resultado da crise, jamais vista nas prefeituras, é a demissão em massa de contratados, interrupção do transporte escolar e a suspensão de serviços básicos, como procedimentos no setor de saúde.

Para protestar contra o caos financeiro gerado pelo Governo de Minas, os prefeitos estão paralisando mais serviços e devem anunciar, por meio da Amams (Associação dos Municípios), uma greve que pararia as atividades das administrações, permanecendo apenas os serviços emergenciais.

Sem dinheiro, a maioria dos prefeitos enfrenta a fúria dos adversários, não consegue fazer obras e serviços, muito menos pagar fornecedores e salários dos servidores. E para piorar a situação, o pagamento do 13º salário está prestes a vencer, e ninguém tem recursos para arcar com esse compromisso.

A dívida do Estado com os municípios mineiros já está em R$ 9,7 bilhões e, pelo menos, 50 cidades do Norte de Minas já decretaram situação de calamidade financeira. Apenas na microrregião Alto Rio Pardo, a dívida do Governo de Minas com as prefeituras já ultrapassa R$ 90 milhões.

O prefeito de Montezuma, Fabiano Soares, já declarou que não tem recursos para pagar o 13º salário dos servidores. O mesmo acontece em São João do Paraíso, Rio Pardo de Minas, Indaiabira e outros.

Comentários

  1. E ainda existe uns cahateados pela vitoria do zema

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente quem paga por isso são os funcionários assalariados que não tem nada haver com essa Política suja e devastadora que vive o País. Onde os próprios políticos "reeleitos" dizem que vão conseguir mudar essa situação. Mudar como? Se alguns estavam lá e deixaram acontecer, chegar a esse ponto. Sem contar que o Norte de Minas e Vale do Jequitinhonha os eleitores preferem votar em paraquedistas do que gente da região, dificultando ainda mais a busca por recursos na região. Tá difícil pros políticos, imagina pro cidadão!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Mais lidas da Semana

Carreta tomba e interdita parte da BR-251

Civil recupera carga avaliada em R$ 1 milhão

Tiros durante churrasco em circo